Pag de rosto72dpi

Informações sobre a coleção:

Tamanho: 16 x 16cm

Acabamento: folha cartonada, pontas arredondadas.

Número de páginas: 16 páginas.

Editora: Cortez

Autora de texto e imagem: Anielizabeth

Lançamento: 2018

pag 02

Como nasceu esta coleção?

Esta coleção nasceu das rodas de conversa e de leitura com meus alunos de Educação Infantil e também de reflexões com a equipe da creche que dirigi. Além disso, observava meus sobrinhos em casa e na escola e me incomodava o tipo de livro oferecido a esta faixa etária. Foram muitos anos de gestação deste projeto, que possui claras intenções pedagógicas e que ao mesmo tempo não abandona o cuidado artístico, afinal o olhar pedagógico não deve nunca andar descolado das preocupações éticas e estéticas.

É visível no Brasil a quase inexistência de livros de autores nacionais que dialoguem com diretamente com as crianças entre zero e quatro anos. O que percebemos é uma enxurrada de livros-brinquedo importados, produzidos com pouquíssimo cuidado na concepção de seus textos e imagens. Sim, existe também coisa boa vinda lá de fora, mas se a demanda da educação infantil só faz crescer, por que ainda temos tão pouco material nacional de qualidade para oferecer aos nossos filhos, sobrinhos e alunos? Por que ainda os forçamos a ter seus primeiros contatos com o objeto livro a partir de imagens que falam de outros povos e paisagens? Por que ainda trazemos para nossas crianças, imagens de bebês brincando na neve? Representatividade importa sim. Afinal, como dizia Tchekov: “Se tu cantas a tua aldeia, cantarás o mundo”.

 

pag 03_editado e sem fundopag 03

Com estas preocupações nasceu a Coleção Primeira Infância, composta de textos curtos e simples, que dialogam com a rotina da criança brasileira e que foram pensados para gerar uma série de atividades e vivências nos espaços de educação infantil, sejam estes espaços a creche, a escola ou a família.

pag 08_editado sem fundoA criação das imagens:

As ilustrações procuraram fugir do clichê dos corpos anatomicamente idealizados que ainda povoam os livros didáticos. As imagens foram feitas a partir da observação da movimentação dos alunos da creche onde eu trabalhava e também de seus sobrinhos. Assim, o que vemos nas imagens são barrigas gordinhas que fogem de dentro da camisa, cabeças grandes, pescoços escondidos em dobrinhas, movimentos desengonçados próprios de quem está aprendendo a dialogar com o próprio corpo e a se relacionar com o espaço. Corpos e movimentos infantis reais, mas que deram margem a técnicas simples de colorir que sempre usei nas minhas aulas com os pequenos e também nas oficinas com professores e cuidadores: muita tinta, muita pintura a mão, muito rabisco, muito recorte e colagem, muita exploração de formas simples. Afinal, esta é uma coleção que pensa a primeira infância em movimento, em uma rotina plena de vivências. Não é uma coleção didática para pensar a criança passiva e sem voz. Nosso principal objetivo é pensar e apoiar a primeira infância e suas complexidades e o quanto a arte pode proporcionar vivências imprescindíveis para esta fase da vida, desenvolvendo habilidades indispensáveis para uma vida autônoma, pensando a criança como um agente do presente. Ela não será. Ela já é.

pag 09 editado sem fundo

Outros pontos importantes na leitura desta coleção:

Ambiência: Esta coleção tem como cenário prioritariamente o espaço escolar: creche e pré-escola. Todas as histórias partem de vivências nestes espaços. Embora este cenário apareça de forma discreta visualmente falando, ele é a motivação de todos os enredos. Pensei na minha vivência como educadora e na carência de um material que pense esta criança que hoje praticamente nasce dentro da escola. Assim, com desenhos rápidos e simples, tracei um cenário bem discreto, mas que está presente em cada livro. Como nesta fase é importante que a criança tenha acesso a imagens simples, concretas e com elementos de repetição, o cenário aparece apenas de forma sugerida para  garantir uma leitura limpa e clara da mensagem principal de cada livro: a movimentação das crianças brincando, pintando, felizes!

pag 05 editado sem fundo em baixa

Uso das cores: A ilustração dos livros obedece às três cores primárias: amarelo, vermelho e azul. Na Educação Infantil, quando trabalhamos as cores, começamos por estas três. Inclusive, uma brincadeira muito comum é fazer o “dia” de cada uma delas. Por exemplo: em um dia, todas as crianças vão para a creche vestidas de vermelho, os espaços ficam enfeitados de vermelho etc… A divisão dos livros por cores pode suscitar muitos trabalhos com as crianças neste sentido.

Indicação de faixa etária: Criei etiquetas de indicação de faixa etária e as dividi por cores, de acordo com cada livro. As mesmas cores das etiquetas preponderam em seus livros correspondentes. E se você reparar, cada faixa etária é acompanhada pelo coelhinho de cor correspondente. Mas, atenção: esta é apenas uma orientação de leitura e não uma regra rígida para atrapalhar o acesso ao livro por parte dos pequenos. Esta é uma coleção para libertar e não para restringir.

As crianças formam uma turminha: é muito comum que os bebês entrem na creche e formem uma turminha que seguirá junta até pelo menos o final da primeira infância. Com os bebês desta coleção, acontece o mesmo.